O Sistema de Dominação Mundial.

Um número crescente de pessoas está se tornando conscientes de que 99% da população da Terra são controladas por uma “elite” de 1%, mas o Conselho das 14 famílias controladoras consiste em menos de 1% do 1% desta “elite” e ninguém na Terra pode candidatar-se a adesão. Por quê? Em sua opinião, eles têm direito a governar o resto de nós, porque eles são os descendentes diretos dos deuses antigos e consideram-se realmente muito especiais. Não entrarei na pauta acerca dos Nephilins, porque muita gente considerará, neste momento uma enorme “viagem” minha e de um grupo de pesquisadores, mas vamos ao ponto-chave – essas famílias são:

Rothschild (Bauer ou Bower)

Bruce

Cavendish (Kennedy)

De Médicis

Hanover

Habsburg

Krupp

Plantagenet

Rockefeller

Romanov

Sinclair (St. Clair)

Warburg (del Banco)

Windsor (Saxe-Coburg-Gothe)

Casa de Morgan

(Pessoalmente, eu suspeito que possa não ser a lista completa e outras linhagens muito poderosas são desconhecidos para nós).

Mas, vamos à análise?

A falta de conhecimento é a chave de todo problema de interpretação nas grandes questões do mundo que nos rodeia.

Apenas as pessoas que não possuem um apego efetivo com as letras, não podem entender o que significa exatamente “dialógica” e “dialética” em direção à verdade.

Eu identifico sempre quatro fatores como sendo as bases de toda falha intelectual na abordagem das questões: a falta de compromisso com a pesquisa sobre os assuntos; a falta de compromisso com a integridade acima de interesses pecuniários menores; a falta de respeito por si mesmo e a sujeição em torno de uma exposição sem critério metodológico mínimo e; a falta de acesso às informações necessárias para o justo juízo.

Sugiro, aos que queiram seriamente uma busca para entender o que são as três elites globalista que controlam o mundo, iniciar com uma investigação sobre um sujeito chamado Cecil Rhodes que foi (1) criador da Rodésia e de outras duas estruturas: uma (2) Sociedade Secreta e o (3) Fundo de Bolsas Acadêmicas Rhodes.

Com estas três medidas, este cidadão britânico iniciou o que hoje é a maior de todas as organizações de manipulação, controle, incursão e política global em torno de uma ideia à qual ele mesmo expôs em uma de suas falas: “… como mostra a história de todos os países, a expansão é tudo, e posto que as extensões de terra sejam limitadas, cabe então tomarmos desde logo as maiores porções possíveis, antes que seja tarde demais”.

O que poucas pessoas sabem ou conseguem ver, devido ás nuvens da vida comum que exige nossa atenção imediata na provisão da sobrevivência é que o que ele começou se posicionou e está devidamente fincado no mundo atual em quatro pontos bem fáceis de aprender se tivermos foco na busca pelas respostas às perguntas corretas:

  1. Cosmovisão Real – O nosso mundo não é uma bola, é absolutamente “terra plana”, com um sol e uma lua debaixo do Domo Celeste – mas, embora um bom número de pessoas que não estudam nada e se acham grande coisa façam galhofas deste fato, o movimento dito “globalista” é, na verdade atrelado a uma organização “discreta” (não secreta, senão eu e outros não saberíamos!) dominam o Tratado da Antártida desde 1959 e, através de uma Confraria muito especial exploram os Continentes que estão além do círculo de gelo que envolve a “área que conhecemos como nosso mundo” – porque é desta plataforma e da relação com as criaturas que estão além do círculo de gelo que se manifestam todas as questões referentes ao “nosso mundo”. Maluquice? Eu achava isto quando vi uma tela de computador pela primeira vez, achei doideira o celular que me permite ver uma pessoa em tempo real – num mundo em que coisas extraordinárias são criadas, por que deveríamos nos fechar a possibilidades? Mais ainda: e se eu tivesse informações que são críveis e possíveis? Por que alguém que estuda a vida há 34 anos se maravilharia com fatos tais como estes dois: Terra Plana e Civilizações Além do Círculo da Antártida?
  2. Controle da Mídia – Há uma clara dominação mundial da mídia; disto ninguém com alguma capacidade intelectual poderá duvidar. Teria que ser profundamente imbecilizado um intelectual que confiar em agências de informação atreladas aos dominadores da mídia mundial. Isto nem carece discussão, é perda de tempo! O que não nos percebemos com a seriedade devida é que nunca se fala da questão da Cosmovisão Correta e ao contrário o projeto mantém as pessoas presas em duas plataformas psíquicas: presas num mundinho de “comida, bebida, sexo e conflitos pessoais diversos”, vedados à possibilidade de ir além e se alguém for deve ser cooptado ou eliminado; e, uma das provas incontestáveis disto é que se alguém pensar “fora da caixinha” como eu estou me atrevendo a fazer aqui, é imediatamente rotulado de “louco, idiota, sem crédito” e outras babaquices do gênero – como se a opinião contrária pudesse estimular-me a desistir ou, por algum ato de covardia fizesse os que tem espírito investigativo parassem de analisar as possibilidades que sugiro. A mídia precisa manter-nos convictos em torno de uma imagem precisa: um planeta bola, onde as nossas vidas são muito pequenas, não existe Deus algum, a História Bíblica é tolice, os movimentos denominados “marxismo”, “materialismo”, “revolução cultural” e outras porcarias do mesmo nível nos mantém presos numa caixa mental menor – enquanto isto Impérios Familiares estão firmemente constituídos e construídos. Nós, povinho miserável e sempre com um pirex na mão, temos quantos anos de vida mesmo? 70 ou 80? Quem chega a tudo isto? É mais fácil concentrarmos nossa atenção à aposentadoria e que se dane esta história de manipulação global – e a mídia conquistou assim seu êxito: manter-nos dentro da caixinha, esmagados e dominados.
  3. Domínio dos Meios de Produção – Afirmo que um grupo de 14 famílias controlam todas as riquezas da Humanidade e estão em conflito contra o Novo Califado Muçulmano e contra o Bloco Russo-Chinês. Afirmo que a vantagem das 14 famílias está num trincado e complexo jogo de relações internacionais em que não apenas todo o dinheiro do mundo está envolvido, mas o controle do poderia militar dos EUA, do Federal Reserve, bem como de todas as forças aliadas do maior poderia militar e econômica da história da humanidade (os EUA). Basta observarmos, sob o ponto de vista da estratégia mundial, ninguém pode “peitar os EUA” sem correr um sério risco de ser extinto. Há diversos fatores para esta logística deles funcionar, tais como posicionamento geográfico privilegiado, recursos tecnológicos, dominação das principais reservas de meios de produção, melhores universidades, política interna favorável a manipulação social, etc. – mas, o ponto-chave é que esta estrutura inteira é controlada por um único centro de comando. Citarei o Federal Reserve como exemplo, porque sem dinheiro não se faz nada neste mundo e o controle do sistema financeiro total da Terra está sediado nesta organização conhecida como FED. De acordo com o Conselho de Governadores, o Fedé independente dentro do governo, de modo que “suas decisões não têm que ser ratificadas pelo Presidente ou por nenhum outro membro do Poder Executivo ou do Legislativo.” Todo o dinheiro da Humanidade está atrelado a esta plataforma de controle. Mesmo os islâmicos e os russos-chineses dependem destes dominadores. Por quê? Porque toda a tramitação de riquezas está controlada por tecnologias de base que apenas os EUA controlam, portanto, um bloqueio da parte deste e os 2 concorrentes estarão mergulhados numa crise jamais vista. Como funciona a crise? Basta quebrar as finanças dos dois blocos e os meios de consumo são afetados, os bens que as pessoas querem para “comer, beber, fazer sexo e lidar com os conflitos pessoais” será afetada e, o clamor por atendimento de tais “necessidades” implode a paz interna, deixando os governantes, os líderes loucos e com risco de revoluções sem fim e face-a-face com a morte. O que ninguém parece prestar atenção é que todas as discussões sobre política e possibilidades gerenciais são “café-pequeno”, a plataforma de dominação controla a própria vida e não está interessada em “comer, beber, faze sexo e conflitos pessoais” – porque as 14 famílias são dinastias de dominação total e não um grupelho de aventureiros que pretende ajudar as pessoas a terem uma vida melhor, ou mesmo ser uma sociedade melhor qualificada. Esta gente não dá a mínima para isto. Por que não ligam? Porque eles possuem os Continentes além do Círculo Antártico, eles possuem todo controle de dominação dentro de nosso campo da atuação, eles dominam os meios totais de produção e, nenhuma revolução poderá atingi-los porque não existem revoluções sem a participação deles. Mas, apenas estúpidos e idiotas úteis não percebem isto. Provas? Evidências? Ora, basta pesquisar sobre as grandes guerras. Quem está sempre atrás de uma guerra? Uma das 14 famílias, ou, no caso da 1ª e 2ª Grande Guerra, todas elas! Sigam o dinheiro. Os imbecis, que no Brasil ficam aplaudindo coisas tais como “movimento gaysista”, “movimento feminista”, “destruição da educação infantil”, “revolução cultural”, “movimento a favor da maconha”, dentre outras porcarias deste nível, não se apercebem ou são vagabundos mesmo para não notarem que o dinheiro que patrocina estas coisas vem de figuras tais como George Soros, Fundação Rockfeller, Bancos alinhados com o FED, onde as 14 famílias exercem dominação total. Meus amigos, nos documentários Zeitgeist, the Movie e Zeitgeist: Addendum são feitas críticas ao Fed, apontando que não se trata, de fato, de uma instituição federal e sim privada, a qual teria provocado a crise de 1929 assim como todas as demais crises após esta, inaugurando uma Era de Manipulação Direcionada a Manter a Humanidade Dentro do Controle. Críticas mais contundentes, assim como uma versão histórica completa do “FED”, podem ser vistas no documentário “The Money Masters”. Sugiro alguns títulos, mas, pode-se começar por “A História Secreta do Ocidente” (Nicholas Hagger), ou por “Origens do Totalitarismo: Antissemitismo, Imperialismo e Totalitarismo” (Hannah Arendt). Ainda há o interessantíssimo “Brotherhood os Darkness” (Irmandade das Trevas) de autoria do Dr. Stanley Monteith. Podemos indicar mais uns 7 para quem quiser – mas estes 3 são bom começo e um choque de informações que abrem uma enorme caixa de possibilidades e visões que apenas bobalhões não prestam atenção e não conseguem ver.
  4. Grupo de Controle Mundial – Mas, antes que qualquer um de nós possa entender o quadro todo até onde já está revelado, num enorme quebra-cabeça, que vamos montando como pesquisadores independentes, “malucos, doidos e amaldiçoados” pelos críticos de plantão que querem um mundinho onde qualquer “teoria de conspiração” é coisa de pirados; antes de fazermos as perguntas certas para podermos ter as respostas certas para essas perguntas, temos que entender que tudo nasce com a partir do sujeito chamado Cecil Rhodes. Esta figura, mal conhecida até mesmo em circuitos mais ortodoxos de pesquisa, teve uma finalidade e um objetivo na vida e ela se firmou na criação de uma Sociedade Secreta cheia de dinheiro (fruto do Império dos Diamantes da África) fundada em 1891, onde as 14 famílias paulatinamente irão se aliar e colocar seus pilares e controlar, a seu turno, o Comitê de Relações Exteriores dos EUA que domina a ONU, o Grupo Bilderberg e a Comissão Trilateral, além de algumas outras organizações estratégicas. Meus amigos há um esquema de controle, as entidades secretas e iniciáticas atuais atendem apenas a estes interesses,são descendentes e ramificações dessa organização secreta original do Cecil Rhodes. Não é apenas a questão da dominação do que está dentro do circuito Antártico, mas do que está além dele! Toda a vida deve ser dominada, tudo deve estar sobre controle – em nome de uma filosofia de “bem maior” mas, que, examinada bem de perto, está cheia de toda sorte de “guerras, manipulação de raças, extermínio de pessoas para que as 14 famílias possam estar em evidência sempre nos círculos internos de dominação”. O Professor Carroll Quigley (https://translate.google.com.br/translate?hl=pt-BR&sl=en&u=https://en.wikipedia.org/wiki/Carroll_Quigley&prev=search) foi um dos principais historiadores do século XX, e lecionou em Princeton e Harvard antes que ele aceitasse uma posição na Universidade de Georgetown. O professor Quigley, descobriu acidentalmente sociedade secreta de Cecil Rhodes. Ele pesquisou durante vinte anos, analisou os seus arquivos secretos, e escreveu dois livros sobre o movimento secreto. O primeiro livro do professor Quigley, “The Anglo-American Establishment” foi concluído em 1949 ou 1950, mas sua publicação foi reprimida durante 30  Seu segundo livro, “Tragedy and Hope: A History of the World in Our Time”, foi suprimida por 6-8 anos, mas ambos os livros estão disponíveis hoje.

Para concluir, trazendo uma pauta de gente grande, saindo de diálogos menores e subjacentes de quarta ou quinta categorias em importância no cenário das possibilidades realísticas, colocarei algumas fotos que sugerem alguma coisa muito ampla – e eu tenho muito material, assim como certo circuito de colegas possui – deixarei aqui uma afirmação de David Rockefeller, o Fundador e Presidente Honorário da Comissão Trilateral: “Alguns chegam a acreditar que somos parte de uma cabala secreta trabalhando contra os interesses dos Estados Unidos, caracterizando a minha família e a mim como “internacionalistas” e de conspirar com outras pessoas ao redor do mundo para construir um mundo mais integrado política e economicamente em uma estrutura global – um único mundo (NWO-New World Order, uma Nova Ordem Mundial) se você quiser. Se esse é o custo, sou culpado, e estou orgulhoso disso.” (Fonte: http://www.newswithviews.com/Monteith/stanley101.htm).

Portanto, sejamos cuidadosos em analisar as coisas, antes de nos metermos a falar sobre o que não conhecemos porque não investigamos com a acuidade necessária.

Espero ter aberto um bom painel de estudos!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *